Prevenção de acidentes domésticos na Infância.


No programa Viva com Saúde - Hospital Casa do mês de Setembro, a pediatra do Hospital Casa São Bernardo, Dra. Kátia Farias, falará sobre a prevenção dos acidentes domésticos na Infância. Crianças, principalmente as menores, passam muito tempo em casa e, por vezes, os responsáveis acreditam que esse seja o lugar mais seguro para elas. Entretanto, nesse ambiente existem muitos objetos que representam potenciais riscos de acidentes para as crianças. A mesma coisa acontece quando elas estão ao ar livre, brincando ou fazendo qualquer outra atividade que requer movimento. Para garantir a segurança de meninos em meninas, confira nossas dicas.


Dra. Kátia é Pediatra do Hospital Casa São Bernardo.

Os acidentes acontecem no nosso dia a dia e as estatísticas são surpreendentes. São mais de cento e vinte duas mil internações ao ano e lesões não intencionais e é uma causa de óbito, principalmente na faixa etária de um a nove anos de idade, sendo cinco mil óbitos ao ano. Só que noventa por cento desses acidentes são de causas preveníveis.


AFOGAMENTO

Sendo um país onde tem muitas praias, lagos e cachoeiras, isso fica ainda mais importante. O afogamento pode também acontecer com até 5 centímetros de água, ou seja, pode acontecer dentro de casa com uma bacia não muito cheia ou um balde e uma criança pequena pode se afogar ali. Esse tipo de situação deve ser evitados, guardando todas as bacias, recipientes e baldes virados para baixo. Nunca deixar uma banheira de água cheia com a porta do banheiro aberta. Sempre esvaziar os ralos. Nunca deixar uma situação de risco para a sua criança. No mar, temos a questão das correntes, dos bancos de areia e é mais importante ainda a supervisão e respeitar as indicações de alerta que os bombeiros fazem.

QUEIMADURAS

Na cozinha, é muito importante guardar as panelas com os cabos voltados para o interior do fogão porque se deixar para fora a criança terá o reflexo de tentar pegar; tentar alcançar e derrubar. Não coloque coisas quentes em recipientes em cima de mesas com toalhas compridas, pois as crianças são curiosas e podem puxar e vai se queimar. As queimaduras nem sempre são leves, às vezes, podem ser queimaduras de segundo grau até terceiro grau. É importante saber o que fazer quando a situação de queimadura já tiver ocorrido. Lave com água corrente e não coloque nenhuma substância caseira (pasta de dente, manteiga, clara de ovo, etc). No máximo, pode se colocar uma compressa úmida com um pano que não solte fios e levar o mais rápido possível a criança para uma Emergência para que as medidas necessárias sejam tomadas.

QUEIMADURAS QUÍMICAS

As queimaduras químicas acontecem quando a criança derrama sobre si própria produtos corrosivos, em geral, de limpeza (banheiro, cozinha, ferrugem) e também alguns produtos de beleza (perfumes, tintas de cabelo). Nesses casos, lave com água corrente por uns vinte minutos, tirando todo resquício dessas substâncias. Após isso, leve a criança ao hospital.

QUEIMADURA ELÉTRICA

Quando isso acontecer, localize e corte a fonte de energia e levar a criança imediatamente para o hospital. Se for preciso, chame o auxílio dos bombeiros ou o SAMU (telefone: 192) e bombeiros (Telefone: 193). Lembre-se que é uma situação que pode ser facilmente prevenível colocando os protetores de tomada ou mesmo posicionando os móveis na frente da tomada para dificultar o acesso das crianças à rede elétrica. As outras queimaduras, podem ser de frio, quando se faz compressas. Lembre-se que a pele de crianças são sensíveis. Proteja a compressa fria com um pano para não provocar uma queimadura por frio.


Medidas de segurança simples podem ajudar a salvar vidas.

INGESTA DE OBJETOS

Isso acontece com bastante frequência. A ingesta de objetos pequenos como: pilhas, baterias, pinos, botões, etc. Isso é uma ocorrência grave. No exemplo da bateria, ela pode até perfurar o estômago da criança e ela deve ser retirada imediatamente por Endoscopia, dentro de um hospital. Mantenha os remédios, produtos de limpeza e outros longe do alcance das crianças. No caso dos brinquedos com peças pequenas e a curiosidade com o corpo. Elas pegam, às vezes, caroço de feijão e introduzem na boca, nariz ou ouvido. Nessas situações, é importante não apavorar, mas não tentar tirar em casa ao menos que esteja extremamente fácil e muito exteriorizado. Imobilize a criança com cuidado e retire o objeto introduzido. O ideal é sempre levar a criança em uma Emergência Médica.

TRAUMAS

Os traumas podem ser em acidentes de trânsito, que a criança vai estar protegida pela cadeirinha apropriada para isso. Quando a criança já for maior e não mais precisar utilizar a cadeirinha, ela deve, sempre que viajar no carro, usar o cinto de segurança. Na prática de esportes e atividades ao ar livre, que é extremamente saudável, desde que sejam feitos com equipamentos de proteção. No uso de um skate ou bicicleta, por exemplo, usar o capacete e cotoveleiras. O importante é fazer a promoção do esporte seguro.

PICADAS DE ANIMAIS

São picadas por insetos e outros animais peçonhentos. Essas situações se previnem cobrindo os ralos e quando elas acontecerem, levar as crianças imediatamente ao médico para fazer um tratamento específico. As situações de mordedura, que às vezes acontecem com animais silvestres ou com animais de rua como cães e gatos. As crianças são mais vulneráveis porque elas gostam de acariciar esses animais e isso é um fator de risco. Nesses casos, será aplicado um protocolo específico, vacina e soro antirábico.

CORTES

Os cortes, dependendo da sua profundidade e tamanho, tem que ser suturados cirurgicamente. Sempre, no entanto, quando tiver uma situação de contaminação com terra suja, lave bastante esse corte e leve a criança direto para o hospital. Proteja a sua casa, deixando ela bem iluminada, proteja as tomadas. Não deixe tapetes que escorreguem por causa das quedas de própria altura; deixe os armários bem fechados. Em situações de queda em escadas, onde pode ter rolamento e traumatismos, que podem ser múltiplos e fraturas, coloque grade para conter ou impedir o acesso da criança a essa escada. Sempre lembrar: as crianças precisam de supervisão de adultos (pais ou responsáveis). Com essas dicas, estaremos prevenindo muitas situações adversas.


PACIENTES E VISITANTES
Nossos Hospitais
       Hospital Casa | Hospital de Câncer
       Hospital Casa de Portugal
       Hospital Casa Evangélico
       Hospital Casa Prontocor
       Hospital e Maternidade Casa Egas Moniz
       Hospital Casa Italiano
       Hospital Casa São Bernardo
       Hospital Casa Procordis
       Hospital Casa Rio Laranjeiras
       Hospital Casa Rio Botafogo
       Hospital Casa Bambina
       3D Diagnóstico por imagem
Institucional
       Trabalhe conosco
       Destaques
       Quem somos
       Missão, visão e valores
       Imprensa
       Diferenciais
       Vídeos Institucionais
CENTRO DE ESTUDOS
       Sobre o centro
       Cursos e eventos
       Residência Médica

© 2017 Grupo Hospital Casa

  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social
  • LinkedIn ícone social