Sarampo: tire suas dúvidas

#sarampo #minsaúde #vacinação


O Ministério da Saúde e a OMS alertaram sobre a facilidade de disseminação e transmissão, doenças como a dengue, zika, chikungunya, febre amarela e sarampo, essa última tida como erradicada no Brasil, que corre o risco de tornarem-se epidêmicas em 2020. Em comum, essas enfermidades seguem dois critérios: alta transmissibilidade e hospedeiros transmissores inseridos na sociedade (Aedes aegypti no caso da dengue e o próprio ser humano no caso do sarampo). Já em 2019, já observamos o retorno do sarampo. Por isso, fizemos um artigo para que você tire suas dúvidas a respeito dessa doença que voltou com força em algumas regiões do Brasil.



O que é o Sarampo?


Sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, que pode ser fatal. Sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. A única maneira de evitar o sarampo é pela vacina.


Em 2019, 9% (526) dos municípios registraram 18.203 casos confirmados e 15 óbitos por sarampo, sendo 14 no estado de São Paulo e 1 em Pernambuco. Em relação aos casos, São Paulo também registrou o maior número de casos, 16.090 (88,4%) em 259 (49,2%) municípios, seguido dos estados do Paraná, Rio de Janeiro, Pernambuco, Santa Catarina, Minas Gerais e Pará.


Atualmente, nove estados mantêm transmissão ativa do vírus do sarampo, sendo que, em 2020, cinco estados já confirmaram casos: São Paulo (77 casos), Rio de Janeiro (73), Paraná (27), Santa Catarina (22) e Pernambuco (3). Não tendo ocorrido óbitos, até o momento. Os outros quatro estados (PA, AL, MG e RS) ainda não confirmaram casos em 2020, estando em monitoramento devido aos casos ocorridos em 2019.

Quais são os sintomas do sarampo?


Os principais sintomas do sarampo são:


- Febre acompanhada de tosse;

- Irritação nos olhos;

- Nariz escorrendo ou entupido;

- Mal-estar intenso.


Em torno de 3 a 5 dias, podem aparecer outros sinais e sintomas, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que, em seguida, se espalham pelo corpo. Após o aparecimento das manchas, a persistência da febre é um sinal de alerta e pode indicar gravidade, principalmente em crianças menores de 5 anos de idade.

Como prevenir o sarampo?


O sarampo é uma doença prevenível por vacinação. Os critérios de indicação da vacina são revisados periodicamente pelo Ministério da Saúde e levam em conta: características clínicas da doença, idade, ter adoecido por sarampo durante a vida, ocorrência de surtos, além de outros aspectos epidemiológicos.


Quem deve se vacinar contra o sarampo?


- Dose zero: Devido ao aumento de casos de sarampo em alguns estados, todas as crianças de 6 meses a menores de 1 ano devem ser vacinadas (dose extra).

- Primeira dose:  Crianças que completarem 12 meses (1 ano).

- Segunda dose: Aos 15 meses de idade, última dose por toda a vida.


Adulto deve se vacinar contra o sarampo?


Tomou apenas uma dose até os 29 anos de idade:


Se você tem entre 1 e 29 anos e recebeu apenas uma dose, recomenda-se completar o esquema vacinal com a segunda dose da vacina;Quem comprova as duas doses da vacina do sarampo, não precisa se vacinar novamente.



Não tomou nenhuma dose, perdeu o cartão ou não se lembra?


- De 1 a 29 anos - São necessárias duas doses;

- De 30 a 49 anos - Apenas uma dose.



Grávidas podem tomar a vacina contra o sarampo?


A vacina é contraindicada durante a gestação pois são produzidas com o vírus do sarampo vivo, apesar de atenuado. A gestação tende a diminuir a imunidade da mulher, o que deixa o sistema imunológico mais vulnerável e, por isso, a vacina pode desenvolver a doença ou complicações.


O recomendado pelo Ministério da Saúde é que a mulher que faça planos de engravidar tome todas as doses da vacina antes, podendo esta ser a tríplice ou a tetra viral, e mantenha toda a rotina prevista no Calendário Nacional de Vacinação atualizada, para se proteger e proteger o bebê.


Quais são as vacinas que protegem do sarampo?


A profilaxia (prevenção) do sarampo está disponível em apresentações diferentes. Todas previnem o sarampo e cabe ao profissional de saúde aplicar a vacina adequada para cada pessoa, de acordo com a idade ou situação epidemiológica.


Os tipos de vacinas são:


- Dupla viral - Protege do vírus do sarampo e da rubéola. Pode ser utilizada para o bloqueio vacinal em situação de surto;

- Tríplice viral - Protege do vírus do sarampo, caxumba e rubéola;

- Tetra viral - Protege do vírus do sarampo, caxumba, rubéola e varicela (catapora).


Onde devo tomar a vacina?


As vacinas são ofertadas em unidades públicas e privadas de vacinação. No SUS, as vacinas são gratuitas, seguras e estão disponíveis nas mais de 36 mil salas de vacinação em postos de saúde em todo o Brasil.

O que causa o sarampo?


A transmissão do vírus ocorre de pessoa a pessoa, por via aérea, ao tossir, espirrar, falar ou respirar. O sarampo é tão contagioso que uma pessoa infectada pode transmitir para 90% das pessoas próximas que não estejam imunes.


A transmissão pode ocorrer entre 4 dias antes e 4 dias após o aparecimento das manchas vermelhas pelo corpo.


Na verdade, o sarampo abre as portas para as outras doenças. A doença é muito agressiva. Ao atacar o organismo, o vírus compromete a memória imunológica deixando-o comprometido para reagir a outras infecções graves. É como se o vírus do sarampo fosse a chave para liberar a entrada para novas doenças.


O único jeito de prevenir o sarampo é se vacinando. Tome todas as doses previstas no Calendário Nacional de Vacinação.

Quais as complicações do sarampo?


O sarampo é uma doença grave que pode deixar sequelas por toda a vida ou causar o óbito. A vacina é a única maneira de evitar que isso aconteça.  Algumas das complicações podem ocorrer em determinadas fases da vida:


Crianças:


- Pneumonia - Cerca de 1 em cada 20 crianças com sarampo pode desenvolver pneumonia, causa mais comum de morte por sarampo em crianças pequenas;

- Otite média aguda (infecções de ouvido) - Ocorre em cerca de 1 em 10 crianças com sarampo e pode resultar em perda auditiva permanente;

- Encefalite aguda - 1 em cada 1.000 crianças podem desenvolver essa complicação e 10% destas podem morrer;

- Morte - 1 a 3 a cada 1.000 crianças doentes podem morrer em decorrência de complicações da doença.


Adultos:


- Pneumonia.


Gestantes:


- Mulher em idade fértil (10 a 49 anos) não vacinada antes da gravidez pode apresentar parto prematuro e o bebê pode nascer com baixo peso;

- É importante se vacinar antes da gestação, pois a vacina é contraindicada durante a gestação.

Como é o tratamento do sarampo?


Não existe tratamento específico para o sarampo. Os medicamentos são utilizados para reduzir o desconforto ocasionado pelos sintomas da doença.


Não faça uso de nenhum medicamento sem orientação médica e procure o serviço de saúde mais próximo, caso apresente os sintomas descritos acima. Para mais informações completas, baixe o Guia de Vigilância em Saúde - Sarampo.


A Rede Hospital Casa está preparada para atender em todas as suas emergências os casos de sarampo e outras enfermidades. Em caso de necessidade consulte no portal a emergência do hospital mais próximo da sua casa. Rede Hospital Casa - Acolhendo e Cuidando de você.




Fonte: https://www.saude.gov.br

PACIENTES E VISITANTES
Nossos Hospitais
       Hospital Casa | Hospital de Câncer
       Hospital Casa de Portugal
       Hospital Casa Evangélico
       Hospital Casa Prontocor
       Hospital e Maternidade Casa Egas Moniz
       Hospital Casa Italiano
       Hospital Casa São Bernardo
       Hospital Casa Procordis
       Hospital Casa Rio Laranjeiras
       Hospital Casa Rio Botafogo
       Hospital Casa Bambina
       3D Diagnóstico por imagem
Institucional
       Trabalhe conosco
       Destaques
       Quem somos
       Missão, visão e valores
       Imprensa
       Diferenciais
       Vídeos Institucionais
CENTRO DE ESTUDOS
       Sobre o centro
       Cursos e eventos
       Residência Médica

© 2017 Grupo Hospital Casa

  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social
  • LinkedIn ícone social